top of page
  • Foto do escritorrmterapiasclinica3

FISIOTERAPIA E A DIABETES

Atualizado: 14 de nov. de 2023


Prevenção e Promoção da Saúde





Descobrir que se tem Diabetes Mellitus, seja do tipo I ou II, com certeza não deixa ninguém feliz. O indivíduo, de forma geral, no dia a dia, consegue encarar as adversidades da vida naturalmente, administrando bem suas emoções, seja ela positiva ou negativa. E quando um acontecimento deste se torna realidade dentro do seu mundo pessoal, nem todos conseguem pensar direito sobre o assunto. “E agora? Como cuidar disso? O que devo fazer? Vou morrer?” E assim, inúmeros questionamentos são feitos, ou para os profissionais, ou dentro da família ou no ambiente onde frequenta, tentando achar uma resposta que te acalme e te dê esperanças. Mas, uma vez diagnosticado, não há outra forma de lidar com isso, a não ser, reagir, buscar muitas informações e se cuidar.


Diabetes Mellitus (DM) significa um grupo de distúrbios metabólicos responsáveis pelos níveis elevados de glicose no sangue (excesso de açúcar). Por esta razão, está diretamente associado a doenças macro e microvasculares, afetando o músculo esquelético e o sistema nervoso. E pode ainda colaborar para o funcionamento inadequado de órgãos (coração, rins, pele e cérebro).


A Contribuição Da Fisioterapia

A abordagem preventiva do (a) fisioterapeuta é comumente relacionada aos níveis secundários e terciários de prevenção. Os desafios a serem enfrentados em relação à doença de diabetes por uma equipe multidisciplinar é de suma relevância, e a Fisioterapia faz parte desta equipe de cuidados.

De acordo com estudo realizado, mostrou-se a importância, no tocante a prevenção fisioterápica, a atenção primária.


"Todavia, a prevenção primária pode começar com atuação na comunidade, ambiente escolar, assim como no trabalho com a participação do sujeito em atividades físicas e informações, como “Promoção da Saúde” ."


Uma das preocupações dos profissionais é com o pé do diabético devido à falta de sensibilidade e também com lesões que levam muito tempo para cicatrizar. O envolvimento de vários profissionais (cirurgiões vasculares, ortopédicos, especialistas em tornozelos e pés, podólogos, médicos internistas, fisioterapeutas, psicólogos, educadores e enfermeiros), intervindo prontamente, pode contribuir para mais de cinquenta por cento de redução de incidência de úlceras na região dos pés.


Diabetes Mellitus e as Alterações Neurológicas

Os pacientes diagnosticados com diabetes, sobretudo, o tipo II, nota-se frequentemente um déficit de equilíbrio e inevitavelmente mais chances de quedas. O/a fisioterapeuta realiza avaliações importantes na prevenção como, os sensórios motores dos pés, amplitude de movimento e sensibilidade, função muscular e testes funcionais.

Dentro da abordagem preventiva, a fisioterapia contribui com exercícios que vão ajudar na amplitude de movimento do tornozelo dos pacientes, e também quanto à marcha, a estabilidade e a propriocepção.


"A contribuição do/a fisioterapeuta, entre outras ações, é estimular o paciente diabético no autocuidado aumentando sua qualidade de vida."


Alterações Osteomusculares

As alterações osteomusculares acarretam no diabético dor muscular tardiamente. Os sintomas variam desde uma suave alteração na percepção do músculo até uma rigidez muscular com dor debilitante.

A capsulite adesiva (ou ombro congelado, que é uma doença de causa desconhecida que, por vezes, os pacientes relacionam seu período inicial a um episódio traumático), através da abordagem fisioterápica é possível observar significativa melhora em longo prazo quanto à funcionalidade do ombro. Isso ocorre, porque a manipulação do ombro é sob anestesia e seguida de exercícios físicos, sob supervisão do/a fisioterapeuta.


Alteração Vascular

Os comprometimentos macro e microvasculares desencadeiam doenças vasculares periféricas, doença isquêmica do coração, doença cerebrovascular, retinopatia, nefropatia e neuropatia.

O/a fisioterapeuta precisa estar ciente de todas as alterações que ocorrem na vida do doente com Diabetes Mellitus, sobretudo, das alterações supracitadas. Prescrever e monitorar os exercícios são importantes para o tratamento e obter bons resultados, destacando, inclusive, a drenagem linfática manual, uma das modalidades terapêuticas bastante utilizadas para o controle de edema dos membros inferiores.


É Preciso se Cuidar e ser Cuidado!

É preciso pensar positivo, ter boas perspectivas com a vida e estar sempre em movimento no sentido de atualizar-se, sempre que possível, sobre o assunto “Diabetes Mellitus”.

Se o equilíbrio emocional é abalado, as pessoas que estão a sua volta perceberão e serão atingidos por esta atmosfera. Por isso, é tão necessário, não só a mobilização do paciente em busca do tratamento e de informações, mas de todos que estão a sua volta, pois sozinho, muitas vezes, o sujeito não consegue.

Para as pessoas que não tem diabetes e não querem adquiri-las, procurem todas as informações possíveis com profissionais capacitados para poder levar uma vida saudável cuidando do físico, da mente e da alimentação. Isso já é prevenção primária!


Valeu, pessoal!

Comments


bottom of page